Memória, identidade e oralidade: considerações em torno do carnaval negro da Bahia (1974-1993)

Franck Ribard

Resumo


Este ensaio propõe algumas reflexões sobre a relação entre noções como identidade, etnicidade, memória social, tradição, oralidade e expressão cultural a partir do estudo do carnaval negro de Salvador da Bahia (Brasil). O foco da observação se concentra no período 1974/1993, tomando como objeto principal de análise as implicações ligadas ao desenvolvimento do que foi chamado de “Movimento Afro-Baiano”. Nosso interesse busca entender as modalidades da dinâmica de tradição /mudança presentes nas expressões e manifestações culturais do carnaval negro. Nesta perspectiva devemos insistir no ponto de articulação de diferentes dimensões e aspectos da realidade social e racial baiana. A cultura tradicional afro-baiana, a evolução do discurso e da consciência étnica, os contextos político e carnavalesco do período representam alguns dos elementos que privilegiamos na argumentação.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.