As práticas assistencialistas e a institucionalização da cultura do benefício

Maria Florice Raposo Pereira

Resumo


Este artigo aborda a tendência atual de difusão de práticas que podem ser agrupadas sob o título de ações solidárias, entre as quais se inclui a caridade. A investigação na qual se dfundamenta indicou que o volume intenso de ações caritativas em Fortaleza tem contribuído para assegurar a sobrevivência, nesta cidade, de relevante número de pobres. As práticas assistencialistas, passando por uma tentativa de modernização e às vezes assumindo um caráter de qualificação dos assistidos, não têm sido, entretanto, capazes de incluí-los na sociedade, como indivíduos suscetíveis de proverem a sua própria existência, ao mesmo tempo em que contribuem para desenvolver entre entre eles valores, comportamentos e expectativas que podem ser agrupadas sob a designação de cultura do benefício.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.